Entrevista a Telmo Veloso e Susana Simões

Aqui no blog irei fazer algumas entrevistas com várias pessoas ligadas ao Trail Running, de forma a que a sua experiência possa contribuir para evolução de cada um de vocês na prática desta modalidade.

A minha primeira escolha foi o Telmo Veloso e a Susana Simões, da equipa Desnível Positivo e que são o casal também é conhecido pelos seus “Desafios a Dois” e que prontamente se disponibilizaram a responder às minhas questões.

Telmo Veloso e Susana Simões

 

Falamos do seu percurso no Trail, os principais obstáculos e a forma como os ultrapassaram, a sua evolução até ao momento e terminamos com alguns conselhos para os que se estão a iniciar.

Luís: Telmo e Susana, vocês começaram no Trail Running em 2010 e em relativamente pouco tempo passaram a ser duas das caras mais conhecidas na modalidade. Como é que resumem esse percurso até ao momento?

Telmo e Susana: Nós participamos pela 1ª vez no Circuito Ax Trail em finais de 2009, mas só em 2010 é que começamos a descobrir os verdadeiros encantos do Trail Running e a marcar assiduamente presença nas provas. Correr na montanha passou a ser um enorme prazer.

Em 2010, por estranho que agora possa parecer, os participantes nas poucas provas que existiam em Portugal não ultrapassavam os 100. Era praticamente um grupo de amigos que se encontrava para correr no monte, sendo que nessa altura ultras maratonas em Portugal eram só na Geira e na Freita.

No final de 2010 participamos na Vuelta al Aneto (98kms), foi a nossa estreia numa ultra maratona. Desde esse dia fomos acumulando muitas experiências, desde a Marathon des Sables (250kms no Sahara em autonomia total em 6 etapas) até ao Gran Raid des Pyrennes (166kms).

Luís: Durante este tempo quais foram os principais obstáculos ou medos?

Telmo e Susana: O principal obstáculo prende-se com a falta de montanhas para treinar, o mais perto que temos de casa é Valongo com os seus 350m de altitude. Outro obstáculo que tivemos há uns anos, mas que agora já está ultrapassado, foi a falta de lojas onde se pudesse comprar material especializado. Por exemplo quando nos estreamos numa ultra (Vuelta al Aneto – Espanha) tivemos de adquirir quase tudo na véspera, no próprio local da prova.

Medos só de tempestades com trovada. Parece ridículo mas é verdade. Até hoje nunca apanhamos trovoada numa prova mas se um dia acontecer, especialmente em alta montanha, o mais provável é desistirmos.

Luís: Como é que ultrapassaram os vários desafios?

Telmo e Susana: Nós adoramos novos desafios e tentamos encara-los sempre com uma atitude positiva. Dentro da nossa disponibilidade tentamos preparar-nos da melhor forma para depois desfrutarmos ao máximo o momento. Para nós os treinos e a preparação para as provas são parte integrante do próprio desafio e por vezes chegam a ser mesmo mais difíceis.

Durante qualquer desafio só pensamos em desfrutar e depois da meta ficamos logo a pensar no seguinte. Já fazem parte da nossa forma de encarar a vida.

Luís: Que diferenças encontram em vocês entre o que eram 2010 e o que são hoje?

Telmo e Susana: Para já estamos mais velhos….

Ao longo destes últimos anos sentimos que nos tornamos mais atletas de endurance. Nós, apesar de já desde 2006 praticarmos triatlo, especialmente de longa distância, sentimos que nestes últimos anos evoluímos muito em termos de maturidade e que passamos a conhecer muito melhor o nosso corpo e os seus limites. Passamos a olhar para as distâncias e duração das provas de uma forma completamente diferente. Em 2009, por exemplo, fizemos 1 Ironman e só o facto de a prova durar mais de 10 horas meteu-nos bastante receio, neste momento essa duração é encarada de uma forma natural e com relativo à vontade.

Luís: Quais são os principais conselhos que têm atualmente para quem se está a iniciar no Trail Running?

Telmo e Susana: Começar com calma. Não devem ter pressa em participar em longas distâncias. Cada um deve ter consciência das suas capacidades e forma física e optar pela prova que mais se adapta a si. As provas perdem o encanto quando se começa a sofrer e todos nós temos a nossa barreira.

Outro conselho importante é o respeito pelos outros e acima de tudo pela natureza. Devemos sempre tentar deixar os montes da mesma maneira que os encontramos, não devemos deixar marcas da nossa passagem, para bem da própria modalidade.
Quero agradecer mais uma vez ao Telmo e à Susana, que entre as várias provas que disputam, se disponibilizaram para responder a estas questões.

Se quiserem saber mais sobre esta dupla fantástica e seguir todos os seus desafios sigam o blog “Desafios a Dois” e façam Like na  página do Facebook “Desafio a Dois”

Posted in Entrevistas

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*