O Meu Primeiro Ultra Trail Foi o Noturno de Óbidos

O TNLO coincidiu com o último fim de semana do Mercado Medieval de Óbidos e isso foi mais um motivo para levar comigo familia e amigos. Optamos por ir na 6ª feira e ficar alojados na Casa Pegada Real. Um local familiar com excelente acolhimento por parte do Sr. Jaime, da D. Anabela e do filho Pedro. Deu tempo para desfrutar, com a família e amigos, de visitar a feira medieval, participar na prova, visitar a praia D’El Rey e, por fim, rumar ao Algarve para gozar férias e recuperar do empeno.

Ultra TNLO 2014

Mercado Medieval de Óbidos

Como chegamos na 6ª feira ao fim do dia, só tivemos oportunidade de pousar as malas, jantar e dar um pequeno passeio pela vila de Óbidos. Mesmo sem entrar no espaço da feira, deu para sentir o espírito medieval.
No sábado o dia foi inteiramente reservado para visitar o mercado medieval, onde degustamos a melhor gastronomia da época, com os serventes vestidos a rigor. Assistimos ainda a um treino de esgrimas dos escudeiros e a um duelo entre cavaleiros, à boa maneira dos Cavaleiros da Távola Redonda.

Levantamento de Dorsais

Com o avançar do dia de sábado, começava a sentir-se cada vez mais a presença de atletas participantes no TNLO. Foi engraçado observar o contraste entre as tshirts coloridas e as vestes medievais que deambulavam pelas ruelas de Óbidos.

A meio da tarde que fui levantar o meu dorsal. Rápido e sem confusões!

Comecei logo aqui a sentir um misto de ansiedade e excitação. Afinal, estava a chegar a altura de correr o meu primeiro ultra trail.

Seguiu-se um jantar leve, na Casa da Pegada Real, equipar, e siga para o local de partida.

Partida do TNLO

A concentração dos atletas aconteceu no Largo “Jogo da Bola”, onde seria dada a partida simbólica.

Depois de tirar umas fotos com o resto da equipa “Minho Aventura”, de cumprimentar malta conhecida, que se vai repetindo de umas provas para as outras, lá nos fomos juntando para ouvir o briefing da organização. Daqui ficou uma chamada de atenção curiosa “… uma travessia por cima de uma palete que poderia estar escorregadia…”.

Deu-se a partida simbólica e lá fomos percorrendo as ruas de Óbidos até chegar à entrada da vila. Dali seria dada a partida oficial.

Partida dada e aqui vou eu para a aventura!

Corrida com Chuva

A chuva decidiu acompanhar-nos logo nos primeiros quilómetros mas estava uma temperatura agradável para a corrida. Isso fez com que eu nunca sentisse necessidade de vestir o agasalho.

Durante esta fase ainda passou por mim o Diogo Fernandes da Offtel Runners que estava a fazer o TNLO – 26 kms, que, sem surpresa, venceu.

Esta chuva miudinha esteve presente até eu chegar ao km 30 (cerca de 4 horas de corrida).

Primeiro abastecimento sólido e a ingestão de melão

Até aos 25kms, altura do primeiro abastecimento sólido rolei bem e com uma média que me permitiria fazer a prova em 6 horas. Mas o pior ainda estava para vir!

No abastecimento optei por comer melão. Rapidamente percebi que tinha cometido um erro, por este ser uma fruta bastante indigesta.

Melão, tomate com sal e uns frutos secos e lá segui para uma das partes mais duras da prova, a travessia da praia.

Travessia da praia e correr na areia

Para além de ser bastante dura, a travessia da praia apresentava bastantes perigos, destacando-se as arribas e a subida e descida de dunas. Com o tempo húmido, estas revelaram-se ainda mais perigosas do que esperava. Pude também confirmar que a tal “ponte-palete” era, aparentemente, um dos locais mais perigosos do trail.

Foram perto de 8 kms do mais puro sofrimento. Nesta fase também já não tolerava bem o isotónico. Safou-me a garrafa de água que levei comigo.

Volta à Lagoa de Óbidos

Foi na entrada para a volta à Lagoa de Óbidos que encontrei um companheiro para os últimos 20 kms.

Eu já não tinha “muitas pernas” e ele, também mal disposto por ter optado pela ingestão de melão, ficou sem frontal (avariado)!

Esta fase do percurso tem uma paisagem singular e fiquei com vontade de repetir. Imagino também que talvez a sua beleza seja ainda mais acentuada durante o dia.

Últimos kms e subida até à meta

Os últimos kms foram os mais difíceis de fazer devido ao cansaço acumulado mas também por o singletrack ser bastante sinuoso e exigir bastante esforço muscular.

 

Ultra TNLO

UTNLO em sete horas e meia

No final completei a minha primeira ultra em sete horas e meia e fiquei em 247º/ 360 finishers. Apesar do meu objetivo passar por terminar a prova em menos de 7 horas, penso que na globalidade cumpri os objetivos e senti uma enorme satisfação por terminar a minha primeira Ultra.

Feedback

Esta é uma das Ultras mais antigas no país e também uma prova de referência. Seja pela sua envolvência, pelo facto de ser noturna ou por ser uma primeira ultra de grau de dificuldade baixo, aconselho-vos a todos a experimentar, no próximo ano, o UTNL 2015.

E dos que lá estiveram, qual é vosso feedback?

Posted in Lições Aprendidas, Provas
2 comments on “O Meu Primeiro Ultra Trail Foi o Noturno de Óbidos
  1. Daniel says:

    Não foi o meu 1º ultra, mas esta coisa dos ultras muitas das vezes não é o que parece, aconselho-te a experimentar para o ano o ultra da Ribafria uma prova feita por etapas que se estende por 2 dias, com etapas não superiores a 15 km, mas com um grau de dificuldade terrivél em muitos locais a progressão é feita de 4 e o sofrimento é algo que se torna normal a partir da 1ª etapa.
    Quanto aos ultras que metem noite ai a coisa pia mais fino uma situação que muito pessoal descora é a iluminação deve-se treinar em locais escuros , e deixar o frontal da prova ligado no ms máximoas durante a noite e verificar se a luz se aguentou é a unica forma de ter-mos alguma certeza quanto a duração da iluminação.

    • luisguim says:

      Deixar o frontal ligado para testar durante a noite é uma boa dica. De qualquer forma é sempre aconselhável levar pilhas extra.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*